Cátaros


Filosofia dos cátaros

Filosofia cátara

dualismo cristão encontra as suas raízes na filosofia de Paulo de Tarso. O seu discípulo, Marcião de Sinope (no Mar Negro), demonstra a irredutível oposição entre os dois conceitos de Deus propostos na velha Bíblia e no Evangelho. A sua Igreja Espiritual estende-se do Oriente ao Ocidente a partir do século II, até passar o testemunho à nova Igreja dos Bons Cristãos (os cátaros) que, eventualmente, desaparece no século XI.

Nós proclamamos que esta visão do mundo está ainda viva no século XXI e que um questionamento que em tudo se lhe assemelha está em progresso nas ciências e nas consciências.

Deus não tem realidade no mundo. Ele é ausente e não é oponível. No entanto, a ideia purificada de Deus revela-se nos espíritos. Essa purificação é um caminho de verdade que passa pela realidade dos factos e a lógica do discurso. Toda a leitura dos textos fundadores deve apoiar-se no método histórico-analítico que invalida os raciocínios teológicos.

A velha Bíblia revela um Deus legislador preso aos valores do mundo, enquanto que o Evangelho desvenda um Deus separado do mundo.

Paulo elabora a ideia das duas criações :

  • o Deus bíblico cria um homem preso aos instintos e paixões, oriundo do reino animal;
  • o Cristo cria um filho de homem, oriundo do reino do espírito, capaz do discernimento da consciência. Ele não anuncia a regeneração da carne, mas a sua natureza vil.

O mundo fundamentalmente mau no qual vivemos pertence ao Demónio. O mal – que não é mais do que, simplesmente, o que faz mal – vem primeiro e o bem nunca vem senão aliviar o excesso de mal. O dualismo opõe a não-violência à violência. Visto que o mal está intrinsecamente ligado à vida, porque imaginaremos nós um Deus criador de toda a bondade? Existe nisso uma espécie de ligação afectiva que nos prende ao Demónio como o escravo ao seu mestre.

A filosofia cátara é uma filosofia de libertação que inverte a perspectiva comum. Ela encontra, na sociedade humana, uma dificuldade tão grande como a da Galileia, que tentava demonstrar que a evidência era, afinal, um erro.

* * *
Renovado constantemente, o nosso site Internet propõe vários artigos e ensaios de Yves Maris cuja finalidade é aprofundar a filosofia dos cátaros; criando e mantendo os laços com os cátaros de hoje em todo o mundo.

cathares, philosphie cathare, catharisme

Yves Maris, philosophe cathare
Yves MARIS
8 mai 1950 - 29 juillet 2009
Biographie


RESURGENCE CATHARE


Le Manifeste
Ouvrage présenté et recommandé
aux auditeurs de France Culture
par Michel Cazenave, producteur de
l'émission «Les Vivants et les Dieux»

Ouvrage sélectionné par la bibliothèque
de l'Université de Navarre (Espagne)
LE MANIFESTE CATHARE - Publications de Yves Maris



THESE DE DOCTORAT


En quête de Paul
L’affrontement de deux conceptions opposées
du monde au moment de l’émergence de
l’idée chrétienne fondatrice de la culture
et de la pensée occidentale, tel est l’objet
de cette quête

En Quête de Paul - Thèse de doctorat de Yves Maris





Cathares, catharisme, philosophie cathare